Mercado e Oportunidades

Sites de emprego são ferramenta para 51,7% dos trabalhadores que buscam emprego


 

A nova Pesquisa dos Profissionais Brasileiros da Catho, site líder de empregos no Brasil, que traça um panorama sobre contratação, demissão e carreira dos profissionais, aponta que 51,7% dos entrevistados fizeram uso de algum site de empregos na busca da atual ocupação.
O número é significativamente maior que dá última pesquisa, realizada em 2011, quando 45% dos trabalhadores utilizavam sites para busca de empregos. O levantamento deste ano apontou que as mulheres e os mais jovens são os que mais usam este meio para buscar uma colocação no mercado de trabalho.


A utilização dos sites de classificados para conseguir um emprego é uma crescente. Quando perguntados “Por qual meio você conseguiu seu emprego atual?”, 17,3% dos entrevistados disseram que via classificados online. Em 2005, 7,9% deram a mesma resposta. Em 2007, o percentual caiu de 5,9% e subiu para 7,4% em 2209. Na pesquisa de 2001, 11,1% afirmaram que conseguiram a colocação atual por meio de um site de empregos.


O uso das redes sociais para a busca de novas  oportunidades também aumentou. Da edição 2013 da pesquisa, 15% disseram ter usado as redes para procurar o emprego atual. E 27,6% afirmaram, ter feito alguma entrevista com base nos contatos das redes. Em 2011, ano da última pesquisa, 12,7% disseram usar as redes para encontrar um novo local de trabalho e 24% afirmaram ter conseguido uma entrevista.
“O pleno emprego e a alta concorrência são fatores que influenciam os trabalhadores a procurar outras formas de se recolocar e, a maioria, como mostra a pesquisa, já percebeu que a internet é uma maneira eficaz de alcançar os objetivos pela facilidade, rapidez e grande armazenamento de informações”, ressalta Luís Testa, diretor de marketing da Catho.
A Pesquisa dos Profissionais Brasileiros – Um panorama  sobre Contratação, Demissão e Carreira dos Profissionais é uma publicação da Catho,e é desde 1988, lançada a cada dois anos, mas passará a ter publicação anual

Fonte: Catho